sexta-feira, 16 de setembro de 2011

Desenvolvimento embrionário

Primeiro trimestre

“Há uns anos atrás, ao dar uma anestesia por causa de uma ruptura da trompa de falópio numa gravidez (aos dois meses), deparei-me com o que acreditei ser o ser humano mais pequeno alguma vez visto. O saco embrionário estava intacto e transparente. Dentro do saco estava um minúsculo rapaz humano, nadando vigorosamente dentro do líquido amniótico, estando agarrado à parede uterina pelo cordão umbilical. O minúsculo ser humano estava perfeitamente desenvolvido com dedos longos e suaves, pés e unhas. A sua pele era quase transparente e as artérias delicadas e as veias eram proeminentes até ao final dos dedos. O bébé estava perfeitamente vivo e não parecia, de maneira nenhuma, como as fotografias e os desenhos de “embriões” que eu tinha visto. Quando o saco foi aberto, o minúsculo ser humano imediatamente perdeu a vida e tomou a forma do que é aceite como a aparência de um embrião nesta fase, extremidades rombas, etc.
( Paul E. Rockwell, M.D.)
embriao


0 semanas – Fertilização: o esperma e o óvulo juntam-se na trompa de falópio para formar um ser humano excepcional (único). Unem-se quarenta e seis cromossomas que pré-determinam tudo sobre as características físicas de uma pessoa.

des13A fotografia à direita é de um óvulo fertilizado, trinta horas depois da concepção. Ampliado aqui, não é maior que uma cabeça de alfinete. Constantemente a dividir-se rapidamente, o embrião em desenvolvimento, chama-se nesta fase zigoto, flutua da trompa de falópio em direcção ao útero.



1 semana – Uma vez no útero, o embrião em desenvolvimento chamado blastocito, procura por um bom local para se implantar, debaixo da superfície do útero. O saco vitelino, que se mostra à esquerda (da página anterior), produz células sanguíneas durante as primeiras semanas de vida. A criança não-nascida tem menos de 0,2 mm de comprimento mas, está a desenvolver-se rapidamente. A coluna vertebral, a espinal medula e o sistema nervoso estão a formar-se. Os rins, o fígado e os intestinos estão a tomar forma.

                                 2 semanas – O embrião produz hormonas que fazem cessar o ciclo menstrual da mãe.
des143 semanas – O embrião tem o tamanho de uma passa. No vigésimo-primeiro dia (21), o coração minúsculo do embrião começou a bater. O tubo neural alarga-se em três partes, em breve tornando-se um cérebro muito complexo. A placenta começa a funcionar. A espinha e a espinal medula crescem mais rapidamente que o resto do corpo, nesta fase, e dão a aparência de uma cauda. Isto desaparece à medida que a criança cresce.



des155 semanas – São visíveis traços faciais, incluindo a boca e a língua. Os olhos têm retina e lentes. O principal sistema muscular está desenvolvido e a criança não-nascida pratica o movimento. A criança tem o seu próprio tipo de sangue, distinto do da mãe. Estas células sanguíneas são agora produzidas pelo fígado em vez do saco vitelino.



des166 semanas – A criança não-nascida, chamada feto, nesta fase, tem cerca de 9-14 mm de comprimento. A pessoa minúscula está protegida pelo saco amniótico, cheio de líquido. Lá dentro, a criança nada e move-se graciosamente. Os braços e as pernas aumentaram de comprimento e podem ver-se os dedos. Os dedos dos pés vão desenvolver-se nos próximos dias. Podem medir-se as ondas cerebrais.



des178 semanas – O coração está quase completamente desenvolvido e parece-se muitíssimo com o do bébé recém-nascido. Uma entrada no átrio do coração e a presença de uma válvula de circulação desvia grande parte do sangue dos pulmões, dado que o sangue da criança é oxigenado através da placenta.
Vinte minúsculos dentes de leite estão a formar-se na mandíbula.
10 semanas – As cordas vocais estão completas e a criança pode (e fá-lo muitas vezes, diga-se a verdade!) chorar (silenciosamente). O cérebro está completamente formado e a criança pode sentir dor. O feto pode até chuchar o seu polegar. As pálpebras cobrem agora os olhos e manter-se-ão fechadas até ao sétimo mês para proteger as delicadas fibras nervosas ópticas.



Segundo trimestre

“A vida está presente desde o momento da concepção.”

des21

(Dr. Jerome Lejeune, o falecido professor e geneticista célebre mundialmente , Universidade de Descartes, Paris)

“Uma pessoa é uma pessoa, por mais pequena que seja!” (de “Horton Hears a Who”, pelo Dr. Seuss, o falecido e famoso autor de livros infantis)
des22
des22

12 semanas – Os músculos aumentam de comprimento e tornam-se organizados. A mãe começará a sentir, em breve, os primeiros batimentos da criança não-nascida, pontapeando e movendo-se dentro da sua barriga.



13 semanas – O feto tem o sentido do gosto de um adulto e é capaz de saborear as refeições da mãe.



14 semanas – 9-14 cm de altura e só seis onças (uma onça = 28,35 gramas) de peso, aparecem as sobrancelhas, pestanas e cabelo fino. A criança pode agarrar com as suas mãos, dar pontapés ou até dar cambalhotas.

des23des24

18 semanas – A criança pode ouvir e reconhecer a voz da mãe. Embora ainda pequeno e frágil, o bébé está a crescer rapidamente e poderá possivelmente sobreviver se nascer nesta fase. São visíveis os órgãos sexuais. O médico pode dizer se a criança é uma rapariga ou um rapaz ao usar um aparelho de ultra-som. Em cima, à direita, é uma rapariga.

Desenvolvimento embrionário – resumo


Semana 0

A concepção é o momento no qual o esperma penetra no óvulo. Uma vez fertilizado denomina-se zigoto, até que alcance o útero 3-4 dias mais tarde.

Semana 2

O embrião pode flutuar livremente no útero por 48 horas, antes da implantação. Após a implantação, ligações complexas entre a mãe e o embrião desenvolvem-se para formar a placenta.

Semana 4

O embrião tem 4-6 mm de comprimento. Um coração primitivo começa a bater. Cabeça, boca, fígado e intestinos começam a tomar forma.

 
Semana 8

O embrião tem agora cerca de 25 mm de comprimento. Traços faciais, membros, mãos, pés, dedos e unhas tornam-se aparentes. O sistema nervoso está receptivo e muitos dos órgãos internos começam a funcionar.

 
Semana 12

O feto tem agora 5-8 cm de comprimento e pesa quase uma onça (28,35 gramas) – 10-45g. Os músculos começam a desenvolver-se e os órgãos sexuais a formar-se. Começam também a formar-se as pálpebras, as unhas das mãos e as unhas dos pés.

Podem ser observados movimentos espontâneos da criança.

 
Semana 16

O feto tem agora cerca de 9-14 cm de comprimento. A criança pestaneja, agarra e move a sua boca. O cabelo cresce na cabeça e o pêlo no corpo.

 
Semana 20

O feto pesa agora aproximadamente 250-450 g e mede cerca de 15-19 cm da cabeça aos pés. As glândulas sudoríferas desenvolvem-se e a pele exterior transformou-se de transparente em opaca.

 
Semana 24

O feto agora pode inalar, exalar e até chorar. Os olhos estão completamente formados e a língua desenvolveu o gosto. Sob cuidados médicos intensivos, o feto tem mais de 50% de hipóteses de sobreviver fora do útero.

Semana 28

O feto, geralmente, é capaz de viver fora do útero da mãe e será considerado prematuro à nascença.

 
Semana 38

Isto marca o final do período normal de gestação. A criança está agora preparada para viver fora do útero da sua mãe
Descreve-se aqui o desenvolvimento típico do embrião ou do feto segundo o critério dos embriologistas – os especialistas nesta matéria -, ou seja, contando o tempo a partir do momento da concepção. Os obstetras, porém, como não é fácil determinar com exactidão quando acontece a concepção, contam “as semanas de gravidez” a partir do primeiro dia do último ciclo menstrual da mulher (que acontece sensivelmente duas semanas antes da concepção).





 

Fonte: Introduction to Child Development (Introdução ao Desenvolvimento da Criança), 6ª Ed., John Dworetzky, West Publishing Company, San Francisco, CA, 1996, p. 70-75.





Nenhum comentário:

Postar um comentário