terça-feira, 24 de maio de 2011

Vulcão na Islândia causa cancelamento de 252 voos Vulcão na Islândia causa cancelamento de 252 voos


A passagem da nuvem de cinzas lançada na atmosfera pelo vulcão islandês Grimsvotn pelos céus da Escócia e Irlanda provocou nesta terça-feira o cancelamento de 252 voos, anunciou nesta terça-feira a agência europeia de controle aéreo Eurocontrol. De acordo com a agência, o total de cancelamentos causados pela fumaça podem chegar a 500. Nessa época do ano, são realizados em média 30 mil voos por dia na Europa.

Na manhã desta terça-feira, as cinzas também alcançaram o sudoeste da Noruega, mas o tráfego aéreo no país sofreu perturbações de menor porte, informou a Avinor, que opera os aeroportos noruegueses.

France Presse

Nuvem de fumaça expelida pelo vulcão Grimsvoetn, na Islândia; ao menos 250 voos são cancelados

"A nuvem chegou à Escócia e ao norte da Irlanda e as companhias aéreas decidiram não voar nas zonas vermelhas de forte densidade de cinzas", explicou Brian Flynn, chefe de operações da Eurocontrol, entidade europeia de segurança aérea.

Depois da paralisação provocada em abril de 2010 pelas cinzas de outro vulcão islandês, o Eyjafjoll, as autoridades estabeleceram três zonas --azul, cinza e vermelha-- para evitar que esta situação se repetisse.

Antes, as medidas de segurança impunham a cada país o fechamento do espaço aéreo a partir do momento em que a nuvem de cinzas se aproximasse.

"No final do dia, a nuvem deve chegar ao sul da Escandinávia, Dinamarca e algumas partes da Alemanha", acrescentou Flynn.

'Depois, seguirá para o sul e afetará França e Espanha, ainda é difícil saber quando'.

O vulcão Grimsvotn, o mais ativo da Islândia, registrou no sábado (21) passado a erupção inicial mais violenta dos últimos cem anos, provocando uma imensa nuvem de cinzas.

Ontem, a fumaça forçou o presidente americano, Barack Obama, a encurtar a visita à Irlanda, e causou receio de uma crise similar à causada pelo vulcão Eyjafjalljokull, que deixou retidos milhões de passageiros no ano passado. No entanto, autoridades dizem que não haverá um distúrbio de tamanha proporção.

De acordo com a Autoridade Britânica de Aviação Civil, os fortes ventos que atingem a Escócia dificultam prever em que direção a nuvem de fumaça deve se mover. No entanto, controladores aéreos dizem que ela deve chegar a aeroportos na Escócia, norte da Inglaterra e da Irlanda na tarde desta terça.

A British Airways suspendeu voos entre Londres e Escócia, enquanto a companhia holandesa KLM e a Easyjet cancelaram voos com destino e partida no norte da Inglaterra e Escócia. Outras três companhias domésticas também anunciaram distúrbios.

A companhia de baixo custo Ryanair informou que não deve cancelar voos entre Irlanda e Escócia, e que se reunirá com responsáveis na manhã de hoje para discutir a questão.

AEROPORTOS

O Serviço Nacional de Tráfego Aéreo (Nats, na sigla em inglês), que controla o tráfego no Reino Unido e no leste do Atlântico, disse que os aeroportos continuarão abertos, mas que os voos devem ser afetados entre 13h (9h de Brasília) e 19h (16h de Brasília).

Em um comunicado, o Nats disse que a fumaça deve afetar os aeroportos de Londonderry, no norte da Irlanda, Glasgow, Edimburgo e Prestwick, na Escócia, além de Newcastle, Carlisle, Durham Tees Valley e Cumbernauld, no norte da Inglaterra. Ela alertou passageiros para checar informações com as companhias antes de viajar.

A operadora aeroportuária norueguesa Avinor disse que a nuvem de fumaça que cobriu o noroeste do país nesta terça-feira se moveu para longe da costa e já não afeta os aeroportos de Stavanger e Karmoey. No entanto, a fumaça deve voltar ao sul da Noruega na tarde de hoje.

www.correiodoestado.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário