quarta-feira, 23 de novembro de 2016

Remédio caseiro para Erisipela



Um bom remédio caseiro para complementar o tratamento clínico da erisipela não bolhosa é aplicar compressas frias de chá de zimbro 2 a 3 vezes por dia sobre a pele afetada.
O zimbro é uma planta medicinal que possui ação anti-inflamatória, anti-séptica e antimicrobiana que reduz a inflamação e a dor, além de facilitar a eliminação da bactéria que provoca a doença.
No entanto, este tratamento caseiro não substitui o tratamento que deve ser indicado pelo médico para que a lesão não se agrave.

Ingredientes
500 ml de água fervente
5 gramas de bagas de zimbro

Modo de preparo
Juntar os ingredientes e deixar repousar por 15 minutos, depois coar e guardar a mistura na geladeira. Molhar gazes esterilizadas e acabadas de serem retiradas da embalagem no chá e aplicar sobre a região afetada pela erisipela durante 10 minutos. Repita o procedimento 2 vezes por dia.
Deve-se sempre utilizar uma nova compressa para cada aplicação porque é muito importante que o tecido esteja completamente limpo e livre de microorganismos.
Uma outra opção de compressa caseira para erisipela superficial é lavar o local afetado com permanganato de potássio porque, além de ser antisséptico, promove uma cicatrização mais rápida da lesão.

(O zimbro é uma planta medicinal semelhante a um arbusto ou uma pequena árvore com copa em forma de cone. Ela tem tronco reto com muitos ramos com folhas pontiagudas e flores de cor verde-amarelada. Os seus frutos são redondos e azulados ou negros, sendo bastante aromáticos, e muito utilizados em decoração.
A infusão de zimbro pode ser utilizada como remédio caseiro para digestão, corrimento vaginal e também pode ser usada na água do banho, entre 100 a 200 mL, para curar problemas musculares, reumatismo e tendinite.
O zimbro cresce nas regiões mais temperadas do Brasil e o seu fruto pode ser comprado em lojas de produtos naturais ou feiras livres.
Para que serve o zimbro
O zimbro serve para o tratamento de problemas digestivos, ajudando na digestão devido à sua capacidade de produzir ácido clorídrico no estômago. Tem também alguns nutrientes e óleos que se juntam para aumentar o apetite em indivíduos sem fome.
Quando utilizado na forma de creme é uma ótima pomada para acne e vários problemas de pele, como alergias e, ainda, para ajudar a evitar a caspa no couro cabeludo. O seu chá facilita o funcionamento dos rins e leva à produção de urina, sendo incluído no tratamento de alguns problemas urinários ou para o tratamento da dor de garganta, devido a sua propriedade anti-inflamatória.
Propriedades do zimbro
As propriedades do zimbro são a sua ação antimicrobiana, anti-séptica, anti-inflamatória, diurética, relaxante, digestiva e aromática.
Modo de uso do zimbro
A parte utilizada do zimbro são o seu fruto inteiro ou em pó, para fazer chás, tinturas e infusões.
Infusão de zimbro: colocar 2 gramas de bagas de zimbro em uma xícara de água fervente e tampar. Deixar repousar por 10 minutos e filtrar. Beber 15 minutos antes das refeições.
Efeitos colaterais do zimbro
Os efeitos colaterais do zimbro aparecem quando a planta é consumida em quantidade excessiva e por mais de 6 meses. Eles podem ir desde problemas renais e gastrointestinais até ao aumento de contrações uterinas, aborto e irritação da bexiga.
Contraindicações do zimbro
As principais contraindicações do zimbro são que esta planta não deve ser tomada por pacientes com nefrite ou gestantes. Não deve ser utilizada a sua essência por apresentar elevada toxicidade.)
















Como tratar a Erisipela

O tratamento da erisipela pode ser realizado através do uso de antibióticos em forma de comprimidos ou xaropes receitados pelo médico durante aproximadamente 14 dias, além de repouso e elevação do membro afetado para ajudar a desinchar a região.
Quando a erisipela não é grave o tratamento pode ser feito em casa, mas quando a erisipela é crônica, complicada ou se repete várias vezes, o tratamento é feito no hospital, através do internamento e os antibióticos são aplicados diretamente na veia.
A erisipela é uma infecção na pele que acontece quando a bactéria que causa a doença entra nas camadas mais profundas da pele através de um ferimento que pode ser até mesmo um simples arranhão. A erisipela não é contagiosa, e por isso não passa de pessoa para pessoa sendo mais frequente em mulheres com mais de 50 anos de idade, obesas e com diabetes, no entanto, a erisipela pode afetar pessoas de todas as idades e especialmente as crianças que tem o hábito de andar descalças.

Antibióticos para Erisipela
Os antibióticos que podem ser prescritos pelo médico podem ser:
Penicilina, que é o mais usado;
Ampicilina;
Cefalexina;
Amoxicilina;
Cefradina;
Ciprofloxacino;
Eritromicina, Claritromicina ou Clindamicina para quem tem alergia à penicilina.
Em caso de erisipela bolhosa, o tratamento pode ser feito com cremes anti-microbianos, como o ácido fusídico a 2%, ou sulfadiazina argêntica a 1%.
É muito importante seguir o tratamento rigorosamente para evitar o aparecimento de complicações e que a erisipelas volte a se instalar.
Durante o tratamento não é aconselhado trabalhar ou ir para escola, porque apesar da erisipela não ser contagiosa, é preciso ficar de repouso para que a recuperação seja mais rápida.
Tratamento caseiro para erisipela
Um bom tratamento caseiro da erisipela, além do uso de antibióticos, é aplicar compressas de água gelada na região afetada diariamente para diminuir a dor e a inflamação. No entanto, caso a ferida esteja com curativo, não se deve retirá-lo e também é importante ficar deitado e colocar almofadas por baixo do membro afetado para que desinche mais rapidamente.
As compressas geladas devem ser aplicadas com gaze estéril porque este tecido não pode estar contaminado para que a doença não piore, e por isso, quando este cuidado não é garantido é melhor não realiza-lo.
Sinais de melhora e piora
Nota-se que a erisipela está melhorando quando a região fica menos vermelha e menos inchada, mas se o paciente notar que a região está ainda mais inchada e mais vermelha, deve-se voltar ao médico.
Complicações da erisipela
Quando é mal controlada, a erisipela, pode ter consequências graves, como o linfedema pós-infeccioso, que é um inchaço duro que pode se tornar numa doença crônica, causando dor, sensação de peso e dificuldade para se mover.

Nenhum comentário:

Postar um comentário